O PRESENTE









O mistério gera curiosidade, e essa, é a base do desejo humano para compreender. Primeiro longa-metragem dirigido pelo também ator australiano Joel Edgerton (Warriors), O Presente é quase um thriller, quase um suspense psicológico e quase um filme bom. A fita, que estreou nos Estados Unidos em agosto de 2016, fala sobre ganância, mentira e o quão longe um ser humano pode chegar para fazer o que é o ‘certo’, segundo o que pensa. O narcisismo detalhado, principalmente em um dos protagonistas, faz um paralelo com um problema bem complicado que acontece diariamente em algumas escolas, o bullying...

Em O Presente, o casal Simon (Jason Bateman) e Robyn (Rebecca Hall) se mudam para uma nova cidade por conta de uma nova oportunidade de emprego de Simon. Logo após a chegada dos pombinhos à sua nova casa, um misterioso homem chamado Gordo (Joel Edgerton) aparece na vida deles dizendo ser um antigo amigo de infância de Simon. A partir disso, percebe-se que Gordo possui segredos sobre o passado de Simon, e Robyn tenta decifrar esse misterioso quebra-cabeça que aos poucos vai se instaurando.
Todos os dias o casal recebe um presente.E assim vai...Seria uma perseguição de um psicopata conhecido na infância?Somente um invejoso.No primeiro jantar com o casal,Gordo chega  a falar sobre a vida bem sucedida de Simon e quanto a dele...não.
A trama se desenvolve a partir das desconfianças da esposa em relação a seu marido. Mas por incrível que pareça, Robyn é o elemento menos desenvolvido na
 trama, o que obviamente é uma falha séria. Não conseguimos decifrar a personagem em relação a seu passado complicado onde usava remédios controlados. Sua contribuição dentro da trama são somente reflexos do medo que sente por toda a situação que ela e o marido acabam se colocando. Muito pouco para ajudar a excelente Rebecca Hall a impor sua personagem dentro da trama.

A boa interpretação de Jason Bateman (ator que encontramos em vários filmes fracos de comédia) surpreende, consegue deixar seu personagem o mais enigmático possível. Os olhos do público voltam-se para Simon a todo instante. Pena que a história deste protagonista, acaba decepcionando, principalmente por conta de um desfecho morno que nem de longe está à altura da história que foi construída até o ato final.
O final do filme começa a se desenrolar(enquanto Robyn dá banho no recém nascido) e a irmã de Simon resolve contar o que realmente aconteceu no passado entre Jason e Gordo.
Mas o final me deixa a mesma sensação de mistério que Machado de Assis em Dom Casmurro.Claro de uma forma bem mais violenta e drástica.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A FOTÓGRAFA ANNIE LEIBOVITIZ, PARA MIM ,A MELHOR!

BORBOLETA NEGRA

COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ